quarta-feira, 18 de maio de 2011

A figueira e os frutos.

 

A FIGUEIRA MURCHA  - Charles H. Spurgeon

Sermão pregado na manhã do dia do Senhor, em 29 de setembro de 1889, no Metropolitan Tabernacle em Newington, Londres.

"E, deixando-os, saiu da cidade para Betânia, onde pernoitou. Cedo de manhã, ao voltar para a cidade, teve fome; e, vendo uma figueira à beira do caminho, aproximou-se dela; e, não tendo achado senão folhas, disse-lhe: nunca mais nasça fruto de ti. E a figueira secou imediatamente. Vendo isto os discípulos, admira­ram-se e exclamaram: Como secou depressa a figueira!"   Mateus 21:17-20.

 

Muitos tem uma interpretaçao errada deste fato relatado nos 3 evangelhos. Alguns acreditam que realmente Jesus estava com fome e foi “enganado” pela árvore, ficou irritado e amaldiçoou a arvore dizendo: “nunca mais nasça fruto de ti”. Segundo Spurgeon, esta é uma passagem bíblica que deve ser classificada como milagre/parábola. Milagre pelo fato da figueira ter secado tão depressa de tal maneira que os discípulos se admiraram e parábola (encenada como teatro) pelo teor da mensagem que Jesus queria passar aos discípulos: condenaçao de Jeruzalém (Ezequiel 17:24 – “Assim saberão todas as árvores do campo que eu, o Senhor, abati a árvore alta, elevei a árvore baixa, sequei a árvore verde, e fiz reverdecer a árvore seca; eu, e Senhor, o disse, e o farei.”).

Qual o contexto destes acontecimentos?

Neste capitulo de Mateus (21) inicia-se com a preparaçao de Jesus para entrar em Jerusalém, começando com o envio dos discipulos para buscar um burrinho o qual ele viria à ser recebido na cidade com aclamaçao de “Hosana ao Filho de Davi! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas!e termina com a tentativa dos fariseus de prende-lo. Foi uma grande reviravolta em um só capitulo e a “parábola encenada” da figueira está bem no meio deste capítulo.

Jesus viu na arvore coberta de folhas uma grande oportunidade de uma excelente liçao prática para seus discípulos.

Uma explicaçao rápida para entender os motivos e intençoes de Jesus nesta liçao.

1-      Uma figueira só apresenta folhas depois de brotar os frutos.

A figueira é uma arvore singular, os furtos começam a brotar quando a arvore ainda esta sem folhas. Quando está totalmente coberta de folhas os frutos já estao prontos e podem ser comidos.

2-      É claro que Jesus sabia que a arvore não tinha frutos.

Se Jesus sabia onde, como e quando estaria o burrinho que ele queria, porque não saberia da condiçao da arvore que estava no caminho?

3-      A árvore chamou a atenção de Jesus.

Provavelmente, as árvores estavam, por causa da época do ano, na sua maioria sem folhas e esta figueira estava a beira do caminho cheia de folhas anunciando a presença de frutos maduros.

Como a figueira, a naçao judaica prometera muitos frutos: escribas, fariseus, sacerdotes, anciaos = defensores religiosos da Lei. Mas Jesus só achou folhas mas nenhum fruto. A maldiçao da árvore refletiu em Israel e o povo judeu. Nunca mais “daria frutos”.

Spurgeon usa esta passagem bíblica para esortar os crentes a apresentares os frutos que Jesus procura. Em comparaçao com a figueira, o novo homem, arrependido dos pecados, entrega sua vida ao Senhor e Salvador Jesus Cristo e começa a apresentar os frutos antes mesmo da folhas. Os frutos que Jesus procura são: a fé genuina, o amor verdadeiro, os frutos do Espírito, fervor na oraçao, andar com Deus, habitaçao do Espirito Santo. As folhas são: frequencia a igreja, participar da reuniao de oraçao, participar da ceia, ler a biblia na escola dominical, etc.

O problema exposto por Spurgeon é do cristao que fala e age antes mesmo de ser, antes mesmo da apresentar os frutos. Muitos querem ser batizados, fazer a profissao de fé pública, ser eleito e participar de algum ministério da igreja antes de mostrar os frutos. A estes, ele chama de crentes com espiritualidade “cogumelo”, pois nascem num dia e morrem no outro.

Jesus não espera frutos de homens que amam o mundo e não a Deus (as outras arvores do caminho), mas Ele tem o direito de esperar achar frutos em todo aquele que se diz cristao e se declara seguidor Dele.

Jesus nos comprou por um altissimo preço com seu sangue e espera a nossa santificaçao.

Uma pessoa que diz ter fé e não tem, mente.

Uma pessoa que diz estar arrependida e não esta, mente.

Uma pessoa que diz que ama e obedece a Deus e não o faz, mente.

Diz ter frutos, mas só apresenta folhas, mente.

Quando uma professora não sabe ensinar, o que a escola faz? Quando um médico não sabe operar, o que o hospital faz? Quando um piloto não sabe pilotar, o que a compania aérea faz? Da mesma forma uma arvore que não serve para dar frutos o que o fazendeiro faz?

Jesus precisa e procura árvores que dêm frutos. Se não serve para dar frutos talvez sirva para lenha. A figueira seca se tornou um farol de advertencia!

Mais uma coisa Spurgeon chama a atençao no texto. Jesus não muda a condiçao da árvore com a maldiçao. Jesus disse que a árvore ficasse como estava. Ela não dava frutos e a maldiçao foi: “fique como esta!”. Nem podemos dizer que foi uma maldiçao de verdade pois não mudou em nada o que já estava acontecendo. Jesus não disse para ela secar e virar lenha. Esta, na verdade, foi a consequencia da vida que a arvore já levava antes de conhecer Jesus.

O homem que se aparta de Deus recebe a sentença “Apartai-vos” ( Fique como esta!). O imundo continua imundo.

Jesus convida para vivermos uma nova vida, diferente da anterior, com muitos frutos. Jesus é amor e ternura. Ele não quer secar você. Ele quer que você seja leal não hipócrita.

Deus fez a vara de Arão florecer e dar frutos numa noite. (Nm 17:8) Pode, muito mais facilmente, fazer você dar muitos frutos. É só pedir.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário